Campanhas Utilidade pública

Campanha Setembro Amarelo conscientiza sobre o suicídio

Apesar da gravidade, o assunto ainda é pouco discutido

Quase 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, e essa é a segunda maior causa de morte entre jovens de quinze e vinte e nove anos, atrás apenas de acidentes de trânsito. Embora as estatísticas sejam alarmantes, este é um assunto pouco discutido, segundo a própria OMS.

Falar sobre o assunto é sempre um desafio. Por isso a campanha Setembro Amarelo vem buscando informar sobre as formas mais adequadas de conversar com alguém que está pensando em suicídio. Especialistas ouvidos pela BBC afirmam que não há certo ou errado ao conversar sobre pensamentos suicidas, o importante é começar a conversa.

Conselhos para conversar com alguém com pensamentos suicidas:

- Escolha um lugar calmo onde a pessoa sinta-se confortável

- Garanta que vocês dois terão tempo suficiente para conversar

- Se você disser a coisa errada, não entre em pânico; não seja duro demais consigo mesmo

- Foque na outra pessoa, faça contato visual, ponha o telefone de lado – dê sua atenção total à outra pessoa

- Seja paciente, podem ser necessárias várias tentativas até a pessoa estar pronta para se abrir

- Use perguntas abertas que precisam de respostas que sejam mais do que um sim ou um não

- Não sinta que precisa preencher todos os silêncios com conselhos e com palavras: às vezes a pessoa está tomando coragem para falar e precisa de um tempo

- Não interrompa ou ofereça uma solução para todos os problemas, o importante é ouvir

- Não empurre suas próprias ideias sobre como a pessoa deve estar se sentindo

- Verifique se a pessoa sabe onde e como obter ajuda profissional

Fontes: Samaritans, entidade britânica de apoio à saúde mental


Destruindo mitos

Organizações de saúde mental tentam acabar com o que dizem ser um mito comum: o de que conversar com as pessoas sobre suicídio vai incentivá-las a tirar suas próprias vidas.

De acordo com a organização australiana Beyond Blue, da ex-primeira-ministra Julia Gillard, ter a liberdade de conversar sobre o assunto pode ajudar a restaurar a esperança das pessoas que estão tendo pensamentos suicidas.

Embora a ajuda profissional seja essencial, e o único método seguro para que a pessoa faça terapia e consiga remédios, conversar sobre a morte e sobre os pensamentos suicidas com alguém próximo pode ajudar a pessoa a se sentir segura no curto prazo.

Ouvir de Novo

Intoxicação alimentar (30.08.2019)

Viver mais, com Daniela Britto

A travessia do caminho (30.08.2019)

Reflexão do dia com Rodrigo Lúcio